Quem sou eu

Minha foto
Desejam falar comigo? *Escrevam seus comentários, que assim que puder, entrarei em contato. Eu não uso outlook.

Pelo mundo

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Tristão e Isolda-Capítulo 20: Acerto de Contas - (2ª parte)


índice geral :: parte anterior

Isolda sentiu-se magoar com as palavras dele. Tristão falava do filho, como se fosse um pesado fardo e não pôde evitar que lágrimas sentidas, escorressem por seu rosto.

— É seu filho, Tristão... Eu sinto muito... mas é seu filho...

Ele percebera-lhe as lágrimas e sentiu-se pior do que antes por magoá-la.

— Eu sei, Isolda.

Tristão segurou o delicado rosto entrre suas mãos trêmulas, beijou-lhe a face e tentou desculpar-se.

— Ele veio em má-hora, mas é meu filho e tenho obrigação de zelar por ele. Precisamos pensar em algo rápido.

— Marcos voltou, então, deitando-me com ele, Marcos pensará que o filho é dele...

Tristão explodiu.

Mais mentiras?! Estou farto disso!!!

— Não tem outro meio! — retruca ela.

— Não posso mais sustentar isso! Não quero desonrar-me ainda mais e macular a memória de meu pai! Ou contamos a verdade para Marcos, ou vamos para Lioness na calada desta noite!

O temor de ver Tristão arrepender-se e acusá-la o resto da vida de objeto de sua desonra, fez com que ela recusasse.

— Tristão, estás fora de si, não consegues organizar os pensamentos claramente. Como disseste; amais vosso tio e estás dividido. Uma decisão precipitada, poderá fazê-lo arrepender-se amargamente.

— Eu não compreendo? Não queres vir comigo?!

— É o que eu mais quero, meu amor. Mas não assim.

Tristão ficou ainda mais confuso, quando foi interrompido por Dinas e Perynnis, que o chamavam aflito.

— Estão me chamando. Preciso sair daqui. Isolda, esta nossa conversa não encerra aqui. Pense sobre a minha proposta e ainda hoje, me dê uma resposta por Brangia ou Dinas.

Ele saiu do quarto e foi até os que o chamavam.

— Graças a Deus, homem! Onde estavas? — exclama Dinas.

— Acho que já sabes.

— Tristão, o rei está de volta, onde estás com a cabeça? — critica-lhe o amigo. — Olha; as notícias que trago não são boas. Especula-se de que o rei decidiu reunir o Conselho da Corte, mas antes, quer vê-lo de novo.

Tristão ficou pálido. Reunião extraordinária do Conselho, não era coisa boa.

Dinas levou-o a um canto para falar-lhe.

— Tristão, Audret tem provas do teu relacionamento com Isolda.

O quê?!!!

— Aconselho-o a contar a verdade ao rei, embora omitindo alguns fatos.

— Eu não posso fazer isso! Além de comprometer-me, também comprometerei Isolda!

— Nas atuais circunstâncias, é melhor não negar, pois será pior — aconselhou-o o amigo.

— Oh, Céus! Que Deus tenha piedade de minha alma! — fala o cavaleiro.



próxima parte :: índice geral

Um comentário:

  1. Parabéns Pelo Blog. Adorável Leitura.

    Maria Godoy de Azevedo de Castro Faria.

    Ps.: Vou Procurar sobre D. Inés de Castro.

    ResponderExcluir